News Archive

  • Homenagem ou Apropriação Cultural? Arte nordestina aparece em nova coleção da Alexander McQueen

    Muito se fala das referências na moda. A linha é muito tênue quando pontuamos inspiração x cópia, ou homenagem x apropriação cultural. Não é de hoje que o mix cultural ao redor do mundo vem servindo de inspiração para diversos povos, os intercâmbios culturais são cada vez mais bem-vindos num mundo globalizado. Essas pautas acabam caindo nas principais rodas quando batemos os olhos e nos questionamos o lugar de pertencimento de cada obra.

    Na coleção mais recente da marca britânica, Alexander McQueen, nos deparamos com uma estampa tipicamente… nordestina! Sim, estamos falando sobre a xilogravura de cordel, característica da região nordeste, e usada para contar nossa história.

    Antes de aplaudir, precisamos entender a diferença entre homenagem e apropriação. Segundo o site Brasil Escola, “A apropriação cultural ocorre quando uma pessoa ou grupo social hegemônico em uma sociedade passa a reproduzir comportamentos, hábitos, vestuários, objetos, linguagens de grupos sociais marginalizados. Essa prática desinveste o significado sagrado ou político que esses últimos conferem aos elementos culturais, substituindo-os por outros significados, geralmente ligados ao entretenimento e à estética, promovendo o esvaziamento e colonização desses elementos sem, em contrapartida, gerar benefícios ao grupo que produziu aquela cultura”.

    Diferente da homenagem, que cita e fomenta o artista ou autor da obra, a apropriação nada mais é que o uso indevido de uma cultura simplesmente pelo capitalismo. Existem diversas formas de trazer outras culturas para o centro da conversa. Não só marcas internacionais, mas aqui no Brasil, também temos exemplos de regiões que se apropriam de certas características para vender suas criações. Por que não convidar esses pequenos artistas e impulsionar suas culturas?

    Essa não foi a primeira vez que vimos símbolos do #nordeste sendo pauta na moda internacional. Como não lembrar da sandália de couro da Prada, que encontramos facilmente nas tradicionais feiras-livres ou casas de artesãos?

    A moda é uma indústria cheia de criativos. Não precisamos ir por esses caminhos.

  • Como o mercado de luxo se mantém relevante em tempos de crise?

    Influenciadora italiana, Chiara Ferragni é nomeada embaixadora global da Bvlgari / Foto: Giulio Rustichelli/Divulgação

    O mercado de luxo sempre esteve diretamente ou indiretamente ligado aos nossos desejos de consumo. Mesmo que não tenhamos em nossos armários peças do alto escalão das marcas, é provável que um acessório ou perfume das nossas grifes favoritas, estejam presentes no dia-a-dia.

    É fato que essas marcas centenárias estão firmes e fortes durante muitos anos por um único motivo: relevância. E essa relevância não vem apenas através de um monograma impactante ou até mesmo de um designer exclusivo – estamos falando de olhar. Por mais que exista toda uma ancestralidade e história, o luxo busca pelo cheiro do novo. Como não falar sobre a inserção em massa de artistas asiáticos da nova geração nas campanhas de moda? Ou até mesmo da influenciadora italiana, Chiara Ferragni, como embaixadora global da joalheria Bvlgari?

    Tudo tem um motivo, e a Bvlgari, assim como outras marcas, enxerga oportunidades através dos novos compradores que buscam para além do objeto e fomentam o propósito. Criar esse universo precisa ser genuíno e inteiramente conectado. Não existe forma melhor para saber os novos movimentos da sociedade, do que trazer uma personagem da vida real para o debate. Mesmo que estejamos rodeados de referências das décadas passadas, nós não vivemos mais lá. É preciso acompanhar o processo.

    Outro fato importante sobre Ferragni, é que ela também faz parte de outra label de luxo, a Tod’s. Após sua nomeação no conselho administrativo da marca, a Tod’s disparou suas ações em 12%, melhor número comparado ao ano passado.

    Assim como as duas outras marcas citadas, o grupo italiano, Aeffe, também assinou contrato com Chiara e suas ações também subiram em 10%.

    Todos querem um pedaço do novo mundo. O luxo nos ensina. Esse mercado para quem está apto a entendê-lo para além da futilidade ou do valor financeiro, tem muito mais a nos ensinar do que vender uma bolsa.

    Será que sua marca está pronta para acompanhar os novos formatos de se comunicar ou está apenas atrás de engajamento supérfluo nas redes sociais?

  • Botegga Veneta e o MKT de Influência

    Oi, sumida! Pouco mais de um mês após o desaparecimento das redes sociais, temos uma pista sobre como a Bottega Veneta irá se comunicar digitalmente. Segundo o presidente do conglomerado de luxo Kering, François-Henri Pinault, a Bottega assumirá participação digital através de seus embaixadores, clientes e amantes da marca.

    Em relação à estratégia de comunicação digital, ela não está desaparecendo das redes sociais – está apenas usando-as de forma diferente. A Bottega decidiu, de acordo com seu posicionamento, apoiar-se muito mais em seus embaixadores e fãs, dando-lhes o material de que precisam para falar sobre a marca por meio de várias redes sociais, permitindo que eles falem pela marca em vez de fazerem por si próprios ”,afirma François.

    Diz que a estratégia não se diferencia muito da utilizada pela concorrente Balenciaga, na qual posta fotos de seguidores com os produtos da marca, sem legenda, nem nada.

    A Bottega Veneta sempre teve um posicionamento low profile, o que não nos assusta com a decisão. O Marketing de Influência, sendo assim, é uma alternativa plausível para as estratégias de venda da casa italiana.

    Nomes fashion como os das modelos Rosie Huntington-Whiteley e Hailey Bieber, são figurinhas carimbadas no impulsionamento da Bottega. A marca já faz parte do lifestyle e conversa diretamente com a estética das duas. O perfil da Rosie passa a ser uma vitrine da marca em todos os seus tons e traços.

    Vale lembrar que aqui no Brasil, por exemplo, já utilizam do mesmo artifício para fortalecer a imagem e criar conexões com o público. Tipo a atriz Marina Ruy Barbosa para o ZZ Mall, e a cantora Iza, para Olympkus.

    Dentro do grupo Kering existem outras grandes marcas como Gucci e Saint Laurent. Isso serve para deixar claro que, na moda e na vida, não existe o certo e o errado. O que funciona para mim, pode não funcionar para você. E é essa reflexão que a Bottega deixa. Você tem conversado com o seu público?

  • FKA twigs e Getty Images se juntam para empoderar storytellers negros e exaltar a história negra

    Getty Images lançar iniciativa de doação de conteúdo para disponibilizar milhares de fotografias relacionadas com a história negra para uso não-comercial | Foto: Ruth Ginika Ossai/ Reprodução

    Cada vez mais, vemos artistas da nova geração engajados em causas sociais e levantando bandeiras que, até algum tempo, eram veladas para não haver comprometimento perante os business. Hoje recebemos a notícia da parceria entre a cantora FKA twigs, e a plataforma Getty Images, com o intuito de fomentar a história negra. Usando o poder e alcance da FKA, a Getty Images vai disponibilizar gratuitamente imagens para criação de conteúdo sobre a narrativa visual da história negra.

    Sendo assim, em breve veremos ações com imagens do Arquivo Hulton sendo disponibilizadas para criadores, educadores e storytellers usarem como base de produção de conteúdo não-comercial. Como parte do projeto, a Getty Images também irá providenciar pesquisas adicional para fins educacionais e mentorias focadas em história negra em seu Arquivo Hulton.

    Em contrapartida, FKA twigs irá lançar um projeto com uma ativação que incluirá conteúdo da coleção.

    “Na Getty Images, acreditamos no poder da comunicação visual para mudar o mundo. Para fazer isso, precisamos apoiar criadores de conteúdo negros para contar mais histórias autênticas para a comunidade negra mundial”, disse Ken Mainardis, vice-presidente sênior e diretor de conteúdo da Getty Images.

    Nos próximos meses, a Getty Images irá lançar mais detalhes sobre o projeto. Parceiros de conteúdo podem oferecer doações de arquivos pelo email CSR@gettyimages.com.